A Guarda Civil espanhola suspeita que Diana Quer, a jovem madrilena de 18 anos que desapareceu na Galiza, terá entrado num carro e seguido para uma zona que não está a ser investigada pelas autoridades. De acordo com o jornal El Español, esta já tinha sido uma das hipóteses admitidas pela polícia para justificar o desaparecimento da jovem na noite de 21 para 22 de agosto na localidade de A Pobra do Caramiñal. Era aqui que Diana Quer estava com a mãe para participar nas festas populares da cidade.

Mesmo que esta teoria se confirme, a polícia continua sem dados que permitam descobrir se Diana Quer fez essa viagem por vontade própria ou em situação de sequestro. Ainda assim, as autoridades continuam à procura das pessoas com quem a jovem espanhola esteve nas horas anteriores ao desaparecimento, nomeadamente em bares próximos à localidade de A Pobra do Caramiñal.

De acordo com as declarações da mãe da rapariga à polícia, a última vez que Diana foi vista estava junto ao parque Valle-Inclán, pertencente à floresta que existe no centro da cidade. Foi aqui que a mãe a conduziu de carro, às 22h30 de 21 de agosto. Terá ficado com os amigos até às 2h30, hora em que decidiu regressar a casa a pé. Demoraria 20 minutos a fazer esse percurso numa situação normal. Nunca chegou ao destino: na última vez que alguém a viu, Diana estava a passar junto a uma pizzaria. Às 3h30 foi detetada a última atividade do seu telemóvel.