Os 26 manifestantes, entre os quais dez menores, que foram detidos num protesto na tarde de domingo em São Paulo, no Brasil, foram libertados esta segunda-feira.

A informação foi confirmada à agência Lusa por fonte do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, de onde partiu a decisão, mas não foram avançados mais informações.

Antes, em nota, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP) tinha informado que 16 pessoas tinham sido acusadas de associação criminosa e corrupção de menores.

Estas pessoas foram detidas “carregando máscaras, pedras, um telemóvel roubado e diversos objetos utilizados em atos de vandalismo”, lê-se no comunicado.

Além disso, segundo a SSP, dez adolescentes que estavam com eles seriam chamados a “responder por ato infracional versando sobre associação criminosa”.

O protesto, que reuniu 100 mil pessoas, segundo os organizadores, foi contra o Presidente Michel Temer, que chegou ao poder após a destituição da ex-Presidente Dilma Rousseff, e a favor de eleições diretas.