O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou hoje, a título póstumo, o empresário António Champalimaud com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito, durante a cerimónia de entrega dos Prémios Champalimaud de Visão 2016.

No anfiteatro ao ar livre da Fundação Champalimaud, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que esta “é uma homenagem justa” a António Champalimaud, “que a serena distância histórica converte em inadiável”, considerando que “a democracia portuguesa nunca reconheceu devidamente a envergadura da sua decisão fundadora”.

“A força das democracias reside em não terem complexos nem temores sempre que se trata de fazer justiça. Neste caso, fazer justiça em nome de Portugal”, acrescentou.

Segundo o chefe de Estado, a decisão de António Champalimaud deixar como herança a criação da Fundação Champalimaud foi “um passo de inequívoco relevo filantrópico nacional e internacional” e “um passo que mais nenhum outro português deu, neste tempo, na área fundacional com tão vasto alcance patrimonial e social”.

A Grã-Cruz da Ordem do Mérito foi entregue pelo Presidente da República à filha do empresário, Maria Luísa Champalimaud.

“Quis o destino que coubesse a quem algumas vezes louvou e algumas outras divergiu e criticou, como cidadão, o empresário e o cidadão António Champalimaud o assumir a responsabilidade nacional de realçar e galardoar o benfeitor social António Champalimaud condecorando-o a título póstumo com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.