Há 43 anos, a 3 de abril de 1973, Martin Cooper — na época um engenheiro sénior na Motorola — fez uma chamada telefónica no mínimo insólita. “Era só para informar que lhe estou a ligar de um telefone móvel”, disse Cooper enquanto segurava um protótipo com mais de um quilo. Do outro lado estava o diretor da Bell Labs, a empresa que rivalizava com a Motorola. A chamada durou trinta minutos. Depois foi preciso carregar o telemóvel durante dez horas.

Só dez anos depois a Motorola voltou a fazer história, dando mais um passo (e dos grandes) no ramo das telecomunicações. Foi em 1983 que a empresa lançou o Motorola DynaTAC 8000X, que oferecia trinta minutos de conversa, uma agenda telefónica digital com 30 números e seis horas de bateria por 3.995 dólares. Um novo mundo abriu-se a partir daí, mas foi a Apple que escancarou as portas: em 2007, lançou o primeiro iPhone e tomou conta do mundo das telecomunicações. Era um telemóvel atraente, potente e com muito por onde crescer.

E cresce mais um pouco esta quarta-feira: às 18 horas, a Apple vai lançar um novo iPhone que promete muitas novidades (conheça-as aqui). É o passo mais recente na evolução dos telemóveis, uma odisseia que já dura há décadas. Recorde-a na fotogaleria.