Atualizado pela última vez à meia-noite de 9/9

Depois de um dia inteiro de combate às chamas, o incêndio em Monchique, no distrito de Faro, permanece um dos mais graves em Portugal continental. De acordo com a Autoridade Nacional de Proteção Civil, ao final da noite de quinta-feira, encontravam-se no local mais de 600 operacionais.

Para além do incêndio de Monchique, a Proteção Civil aponta ainda como uma “ocorrência importante” o fogo que deflagra em Esposente, no distrito de Braga. A Proteção Civil considera como “ocorrências importantes” os fogos florestais com mais de três horas e mais de 15 meios.

Fogo com duas frentes ativas persiste em Monchique e Portimão

O incêndio de Monchique e Portimão, com duas frentes ativas de grande extensão, continua a progredir. “A área ardida nas últimas 24 horas é maior do que a que ardeu no fogo que decorreu durante o fim de semana”, disse o presidente da Câmara Municipal de Monchique, Rui André, apesar de ainda não ter números concretos da área afetada.

Segundo disseram à Agência Lusa o presidente da Câmara Municipal de Monchique e do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro, “inexplicavelmente o fogo tem tomado direções contrárias ao vento” verificando-se ao início da noite que as chamas progrediram para a freguesia de Marmelete e das Caldas de Monchique apesar do vento de noroeste.

“Neste momento temos duas frentes ativas que agora com a noite e com a humidade vamos tentar resolver, mas a verdade é que o vento não está a ajudar”, observou Rui André.

O fogo deflagrou no passado sábado e foi dado como extinto no domingo mas reacendeu-se esta quarta-feira tendo vindo a progredir para sul e entrou ao início da tarde de hoje no concelho de Portimão. Por precaução, foram deslocadas 16 pessoas – idosas e com mobilidade reduzida -, encaminhadas depois para casa de familiares, centros de dia e para um pavilhão desportivo de apoio à Proteção Civil.

As povoações do Carriçal, Moinho da Rocha e Tabual e o hotel Pestana junto ao Autódromo Internacional do Algarve durante a tarde desta quinta-feira. O combate tem sido dificultado pelas condições atmosféricas, nomeadamente o vento forte que tem fustigado a zona desde quarta-feira à noite.

Segundo o site da Proteção Civil, o incêndio está a ser combatido 603 operacionais auxiliados por 195 viaturas.

Fogo permanece com três ativas em Esposende

Em Esposende, no distrito de Braga, um fogo, com início às 15h32 na localidade de Monte de São Lourenço, permanece com três frentes ativas e está a ser combatido por 135 operacionais, apoiados por 44 meios terrestres.