A Universidade Católica Portuguesa (UCP) vai, ao fim de várias tentativas frustradas, abrir uma Faculdade de Medicina. A universidade juntou-se ao grupo Luz Saúde para fundar um novo polo em Cascais. A UCP será a primeira universidade privada portuguesa com uma faculdade de Medicina.

Depois de estabelecida a parceria entre a Luz Saúde e a UCP, terá sido essencial o contributo do município de Cascais, liderado pelo social-democrata Carlos Carreiras, que ofereceu “um contributo determinante na negociação de terrenos da autarquia”, como informa o jornal i na sua edição impressa.

Segundo o i, o polo universitário vai ser no antigo Hospital de Cascais, onde será construído um pavilhão destinado às aulas teóricas dos cursos de enfermagem – em funcionamento desde 2006 – e do novo curso de medicina.

A Agência de Avaliação e Acreditação – responsável por autorizar o funcionamento dos cursos superiores em Portugal – chumbou repetidas vezes as tentativas de universidades privadas abrirem cursos de medicina. Entre as faculdades privadas que tentaram abrir cursos desta natureza contam-se a Católica, Lusófona, Fernando Pessoa e o Instituto Piaget.

O orçamento anual de uma licenciatura em Medicina pode ser superior a 20 mil euros e depende de um acordo com um hospital que tenha dimensão suficiente para albergar os estudantes. Muitos hospitais têm alguma resistência a tornarem-se hospitais universitários já que, por norma, a sua eficiência diminui ao receberem estudantes.

Com a parceria da Luz Saúde, os alunos poderão complementar a sua educação durante três no Hospital da Luz, em Lisboa.

Em 2004 a UCP fundou o Instituto de Ciências da Saúde “com a finalidade de coordenar as áreas do Saber que incorporam as questões da Biomedicina e da Saúde”, explica o site da instituição. A Escola de Enfermagem da Católica teve início em 2006, em Lisboa e no Porto.