A enfermeira Greta Friedman, que dizia ser a mulher beijada por um marinheiro na fotografia da revista “Life” que correu mundo, morreu aos 92 anos vítima de uma pneumonia, informou a família. Segundo o New York Times, foi o filho quem informou a comunicação social.

A fotografia a preto e branco, que capta o momento em que um marinheiro agarra uma enfermeira pela cintura e a beija em plena Times Square, Nova Iorque, foi tirada a 14 de agosto de 1945 por Alfred Eisenstaedt no fim da II Guerra Mundial, anunciada com a rendição do Japão. A imagem foi publicada na revista Life e correu mundo. Mas a identidade dos seus protagonistas não foi um tema fácil, nem unânime.

O New York Times recorda que 11 homens e três mulheres reclamaram estar naquela fotografia. Greta Friedman foi uma delas. Friedman disse sempre que só viu a imagem nos anos 60, enquanto folheava um livro do fotógrafo que captou o momento. Já em 2005 disse em entrevista que, na altura, contactou a revista e que lhe disseram que a mulher na fotografia teria sido identificada com outro nome. Na verdade, o fotógrafo que captou aquela imagem não terá feito mais nenhuma fotografia do casal, não podendo, por isso, ser comprovada a identidade.