A eurodeputada socialista Ana Gomes escreveu uma carta à Procuradoria-Geral da República e à Polícia Judiciária onde pede aos dois organismos para que “procedam às diligências necessárias” para averiguar a transferência do jogador paraguaio Francisco Vera para o Sport Lisboa e Benfica.

Na carta enviada à Procuradora Joana Marques Vidal e à diretora da Unidade de Informação Financeira da PJ, Mariana Raimundo, Ana Gomes lembra os “recortes de imprensa respeitantes” à contratação de Francisco Vera que “reportam indícios sobre a possível prática de crimes de branqueamento de capitais”.

A carta da eurodeputada Ana Gomes vem relançar um caso que já tinha motivado a reação do Benfica. No início de setembro, e depois de o Correio da Manhã ter dado eco às notícias que vinham do Paraguai, uma fonte dos encarnados disse ao jornal que não existia qualquer irregularidade na transferência e que o jogador já tinha sido totalmente pago.

Ao Observador, fonte do Benfica, reitera que o “clube está perfeitamente tranquilo” com o caso. A mesma fonte argumenta que a notícia assenta em vários pontos declaradamente falsos e critica a “falta de profissionalismo” da eurodeputada portuguesa que, “com tantos assessores”, não teve a preocupação de averiguar a veracidade da notícia. “Era o mínimo que se exigia”.

De todo modo, a existir alguma irregularidade, teria sido cometida pelo clube paraguaio que, depois de ter recebido o dinheiro da transferência, não o teria declarado ao Fisco. A ser verdade, salvaguarda a fonte benfiquista, “esta situação não tem nada a ver com o Benfica“.

As notícias sobre a alegada lavagem de dinheiro e evasão fiscal foram inicialmente avançadas pelo jornal paraguaio Hoy, em agosto de 2016, e estava relacionadas com a contratação de Vera aos sul-americanos do Club Rubio Ñu, que tem como dirigente Carlos Gamarra, antigo jogador encarnado.

O site Football Leaks, que se tem dedicado a revelar documentos confidenciais dos três principais clubes portugueses, divulgaria depois o contrato celebrado entre as partes. De acordo com aquele site, a SAD benfiquista pagaria um total de 2,8 milhões de euros em várias prestações.

Ora, neste momento, e a confirmarem-se estas informações, o clube paraguaio já deveria ter recebido pelo menos metade do montante acordado com o Benfica. No entanto, e de acordo com o Hoy, o Club Rubio Ñu não declarou nada ao Fisco paraguaio.

De 2015 para cá, Francisco Vera, de 22 anos, nunca alinhou pela equipa principal do Benfica, o que, em si mesmo, não encerra nada de irregular. Na época passada, o avançado acabou por jogar em 17 encontros pela equipa B, marcando apenas um golo. Atualmente, e ao contrário do que tinha sido avançado pelo jornal paraguaio, o avançado não abandonou a carreiro e está, isso sim, emprestado aos uruguaios do Centro Atlético Fénix.