O Banco Central Europeu (BCE) aprovou os nomes de Luís Campos e Cunha e António Vitorino, ambos ex-ministros socialistas, para integrarem o conselho de administração do Santander Totta.

A notícia foi avançada num primeiro momento pelo Jornal de Negócios e entretanto confirmada pelo Observador. Os responsáveis europeus não viram qualquer impedimento legal e deram luz verde aos novos órgãos sociais do banco, que já tinham sido aprovados em assembleia-geral — o “sim” do BCE era o único passo que faltava para que os dois pudessem tomar posse.

A nova administração do Santander Totta conta agora com 15 elementos, que têm mandato para o triénio 2016-2018. António Garcia-Tuñón será o chairman do banco e António Vieira Monteiro mantém-se como presidente da comissão executiva. Também Enrique Garcia Candelas ocupará o cargo de vice-presidente.

O novo conselho de administração passa também a contar com três mulheres — só tinha uma. Inês Oom de Sousa e Remédios Ruis Macia juntam-se a Isabel Mota.

De acordo com o Diário Económico, o conselho de administração é ainda composto pelos vogais Angel Rivera, João Leite, José Carlos Sítima, José Leite Maia, Luís Bento dos Santos, Manuel Preto, Pedro Castro e Almeida.

José Manuel Galvão Teles e António Pinto Leite vão ter assento na Mesa da Assembleia Geral.