Åsmund Gillebo, um norueguês de 41 anos, foi o cliente número 100 mil de um Renault de propulsão totalmente eléctrica. E, para além de receber em Oslo as chaves do seu novo Zoe, foi ainda presenteado com cinco anos de recargas e 100 mil minutos de recargas, oferecidos por dois fornecedores de energia locais. Uma efeméride que assume uma importância significativa para a marca gaulesa, que há cinco anos lançou o seu primeiro modelo movido exclusivamente a electricidade.

Para além do Zoe, líder entre os automóveis eléctricos na Europa, com 23% de quota de mercado (50% em França), a oferta da Renault neste domínio inclui, ainda, o Kangoo ZE, o pequeno Twizy de dois lugares em tandem (e a sua versão comercial Twizy Cargo) e o RSM SM3 ZE, a berlina que lidera o segmento dos automóveis eléctricos na Coreia do Sul.

No primeiro semestre de 2016, a casa do losango vendeu mais de 15 mil automóveis eléctricos (sem contar com o Twizy), o que representa um crescimento de 32% face ao ano transacto, tendo como principais mercados o francês, o norueguês, o britânico e o alemão.

A aposta da Renault na mobilidade eléctrica passa ainda pelo desenvolvimento da infraestrutura de postos de carregamento de baterias. Actualmente composta por mais de 100 mil pontos, cerca de 80 mil dos quais na Europa, está em permanente crescimento, para isso contribuindo, por exemplo, o projecto TEM-T da União Europeia, apoiado pela Renault, que instalou mais de 2.300 postos de carregamento rápido ao longo da rede de auto-estradas e principais estradas de mais de 15 países comunitários.