A taxa de desemprego no Reino Unido desceu para 4,9% entre maio e julho, a mais baixa desde setembro de 2005 e contra 5,5% no mesmo período de 2015.

Segundo dados da agência de estatística britânica (ONS nas siglas em inglês) hoje divulgados, o desemprego que inclui tanto os desempregados que beneficiam de subsídio de desemprego como os que não, atingiu 1,63 milhões de pessoas nos três meses entre maio e julho, menos 39.000 desempregados do que nos três meses precedentes.

O número de pessoas com subsídio de desemprego durante o mês de agosto, dois meses depois do triunfo do ‘Brexit’ no referendo sobre a saída do país da União Europeia (UE), subiu para 771.000 pessoas, mais 2.400 pessoas do que no mês anterior, adiantou a ONS.

Os salários médios dos trabalhadores aumentaram 2,3% em julho, face ao mesmo mês de 2015, afirmou a ONS.

Em relação à taxa de emprego, a ONS indicou que esta foi de 74,5% em julho, a mais alta desde 1971.

Segundo os dados hoje divulgados, em julho, 23,25 milhões de pessoas trabalhavam no Reino Unido a tempo completo e 8,5 milhões de pessoas a tempo parcial, respetivamente mais 434.000 e 126.000 do que no mesmo mês de 2015.

O especialista da ONS Nick Palmer afirmou hoje que estes dados mostram que o mercado laboral continua a melhorar, com uma taxa de emprego elevada.