A candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton, vai regressar à campanha eleitoral na quinta-feira, ao fim de quatro dias de repouso depois de ter desmaiado durante as cerimónias do 11 de setembro, anunciou um porta-voz na terça-feira.

A candidata pelos democratas à Presidência dos EUA tem estado a repousar, desde domingo, na sua casa, em Chappaqua, perto de Nova Iorque, após o episódio de desmaio. Naquele dia, o porta-voz de Hillary Clinton, Nick Merril, reagiu ao incidente, explicando que a candidata sofrera uma “insolação”, assegurando, no entanto, que a candidata já se sentia “muito melhor”. Mais tarde, a médica oficial da candidata democrata à Casa Branca esclareceu que Clinton sofre de uma pneumonia, diagnosticada na sexta-feira, depois de ter sofrido um prolongado ataque de tosse alegadamente relacionado com alergias.

Porém, há já várias teorias para o que poderá ter Hillary. O marido, Bill Clinton, já veio dizer que se tratou de um episódio de desidratação, como muitos outros que a democrata já sofreu ao longo da vida.

“Ela passou o tempo a ler dossiers, a telefonar e viu na televisão o discurso do Presidente (Barack) Obama, em Filadélfia”, avançou o porta-voz, Nick Merrill, que acrescentou: “Vamos regressar às viagens da campanha na quinta-feira”. Clinton deve pronunciar um discurso, na sexta-feira, em Washington.

A candidata democrata anulou as suas deslocações aos Estados da Califórnia, previstas para segunda e terça-feira, e do Nevada, na quarta-feira, onde o seu marido, Bill Clinton, a deve substituir.