Uma nova família de motores a gasolina, com várias soluções tecnológicas de vanguarda, e uma inédita transmissão automática, que se anuncia como revolucionária. Estes são os protagonistas do lote de novas tecnologias que a Jaguar Land Rover (JLR) vai apresentar já esta semana, e que inclui ainda veículos mais leves, motorizações alternativas e uma melhor conservação da energia nas viaturas. Destinam-se tanto aos seus actuais modelos como aos que aí vêm, sempre com o intuito de incrementar a respectiva eficiência e, com isso, garantir uma redução substantiva dos consumos e das emissões de poluentes.

No centro desta estratégia está o novo motor a gasolina de quatro cilindros e 2,0 litros da família Ingenium, já em produção no Reino Unido, onde também foi integralmente projectado e concebido – estando a sua chegada ao mercado aprazada para 2017. Anunciada como a mais avançada família de motores que a marca já desenvolveu, promete um aumento da potência de 25%, em conjunto com uma redução do consumo de combustível de 15%, relativamente às unidades motrizes que terá por missão substituir.

Entre os vários recursos adoptados por este motor, o destaque vai para o comando electrohidráulico da distribuição, para o colector de escape integrado e para os turbocompressores de dupla entrada com rolamentos de esfera cerâmicos. O bloco em alumínio, em tudo semelhante ao utilizado pelos motores Ingenium a gasóleo (lançados no ano passado), baseia-se numa cilindrada unitária de 500 cc, o que lhe confere uma inequívoca modularidade, permitindo o desenvolvimento de diversas variantes, para distintas aplicações, que irão das berlinas desportivas aos SUV.

Ao mesmo tempo, a JLR anunciou o lançamento de uma nova transmissão automática ultracompacta e leve, com caixa de transferência integrada (as chamadas “redutoras”), de seu nome Transcend. Um projecto avaliado em cerca de 35 milhões de euros, cofinanciado pelo Governo britânico, que visa aumentar não só a eficiência dos veículos em que esta transmissão seja aplicada (são prometidas poupanças de combustível da ordem dos 10%), como incrementar as suas capacidades para evoluir fora de estrada.

Com dupla embraiagem e uma relação de 20,0:1 entre as suas mudanças mais extremas (mais do dobro do habitual), a caixa Transcend integra ainda o módulo de tracção integral, que garante a repartição do binário entre os dois eixos, controla o diferencial central e assegura a transmissão de binário ao eixo dianteiro. Não menos importante, um módulo eléctrico integrado fornece potência e binário no modo híbrido, e é mesmo capaz de assegurar a tracção no modo de operação totalmente eléctrico.

Com oito velocidades para a frente e duas para trás, a caixa Transcend pesa cerca de 20 kg menos do que as actuais caixas de oito velocidades convencionais, e pode ser aplicada tanto em modelos de tracção integral como de tracção traseira com o motor colocado longitudinalmente.