440kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Marisa Matias pergunta a Juncker se "não sente vergonha"

Este artigo tem mais de 5 anos

A eurodeputada bloquista criticou os responsáveis europeus por continuarem a discutir o "processo vergonhoso de sanções para Portugal", quando ignoram os casos de Alemanha e França.

"Continuamos todos a discutir um processo vergonhoso de sanções para Portugal. E porquê? Porque Portugal é Portugal"
i

"Continuamos todos a discutir um processo vergonhoso de sanções para Portugal. E porquê? Porque Portugal é Portugal"

"Continuamos todos a discutir um processo vergonhoso de sanções para Portugal. E porquê? Porque Portugal é Portugal"

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Marisa Matias, eurodeputada bloquista, confrontou esta quarta-feira o presidente da Comissão Europeia com as sucessivas violações das regras orçamentais dos governos francês e alemão, questionando Jean-Claude Juncker se não sentia “vergonha” por ignorar estes casos e permitir que se continue a discutir o “processo vergonhoso de sanções” contra Portugal.

Jean-Claude Juncker esteve esta quarta-feira em Estrasburgo para falar sobre o estado da União Europeia. Depois da intervenção do presidente da Comissão Europeia, Marisa Matias exigiu falar de problemas “concretos” do espaço europeu e não continuar a fazer “listas de generalidades”.

A eurodeputada foi direta ao ponto. “A Alemanha viola o limite para os excedentes externos desde 2007 e já foi advertida em 2013. A Alemanha ignorou e o que fizeram? Aumentaram os excedentes para valores recorde. No entanto, todos sabemos que nunca haverá sanções para Alemanha. E porquê? Porque a Alemanha é Alemanha”, apontou Marisa Matias.

A ex-candidata presidencial falou depois do caso de França, parafraseando as próprias palavras de Juncker, que chegou a admitir que o Estado francês não era alvo de sanções por ser, precisamente, o Estado francês. “França teve um défice orçamental de 3,5% em 2015 e irá continuar a violar o limite do défice em 2016. E sabemos todos que não haverá sanções para França. E porquê? Porque França é França”, criticou, antes de apontar o exemplo português.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Portugal sofreu um dos processos de ajustamento mais dolorosos de toda a União Europeia e de acordo com a Comissão Europeia vai reduzir o défice para valores abaixo do limite legal. No entanto, continuamos todos a discutir um processo vergonhoso de sanções para Portugal, nomeadamente em termos de corte dos fundos estruturais europeus. E porquê? Porque Portugal é Portugal”.

“Este é o estado da União Europeia que o senhor presidente ignorou no seu discurso”, continuou Marisa Matias. “Mas diga-me uma coisa: Não sente vergonha?”.

A eurodeputada bloquista partilhou o vídeo da intervenção na página pessoal do Facebook, classificando o debato sobre “O Estado da União” como “mais um festival da Eurovisão” e queixando-se, ainda, de não ter tido qualquer resposta às perguntas que colocou.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.