O economista Abebe Aemro Selassie, antigo chefe de missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) quando Portugal recebeu assistência financeira da ‘troika’, vai ser o próximo diretor do departamento de África do Fundo, anunciou a instituição.

“Abe traz uma profunda compreensão dos desafios com que África se confronta, tendo trabalhado em estreita colaboração com decisores políticos de todo o continente ao longo de sua carreira; a sua capacidade comprovada de exercer liderança intelectual, seu historial de construção de relações colaborativas, sua profundidade analítica e personalidade calorosa colocam-no numa posição ideal para liderar o trabalho do FMI junto aos nossos países membros da África Subsariana”, disse a diretora-geral do FMI, citada numa nota enviada às redações.

Selassie, antes de entrar para o FMI, esteve na Economist Intelligence Unit, tendo-se especializado em questões de risco de crédito soberano, e posteriormente trabalhou para o governo etíope, como Economista Principal do Gabinete do Presidente, acrescenta a nota.

Formado em Economia pela City of London Polytechnic e com um mestrado em História Económica pela London School of Economics, Selassie passou pelo Departamento de Estratégia, Políticas e Avaliação e pelo Departamento Europeu, ond acompanhou de perto o processo de ajustamento financeiro a Portugal por parte da Comissão Europeia, Banco Central Europeu e FMI, na qualidade de diretor-adjunto e chefe de missão para Portugal.

“O FMI continua profundamente empenhado em servir aos nossos países membros africanos. Abe trará uma combinação única de profundos conhecimentos e vasta experiência para seu novo cargo de Diretor do Departamento de África”, concluiu Lagarde.