O desaparecimento de Diana Quer na Galiza há mais de três semanas continua envolto em mistério, à medida que aparecem novos indícios sobre o contexto familiar da jovem. As primeiras suspeitas voltaram-se para a mãe, mas agora é o pai de Diana, Juan Carlos Pinel, que está a ser investigado. De acordo com o El Mundo, a jovem apresentou uma queixa, em maio, contra o seu pai, por retê-la em casa contra a sua vontade, e por lhe retirar o telemóvel para que fique incomunicável.

Diana, já com 18 anos, descreveu às autoridades a situação que a levou a apresentar a queixa, que remonta a 11 de maio. Nesse dia, a jovem pediu ao pai que a fosse buscar à escola, porque não sabia da mãe. Uma vez em casa, o pai terá retirado o telemóvel a Diana, antes de lhe mostrar vídeos sobre a manipulação dos filhos por parte das mães e de classificar a mãe da jovem como uma “psicopata”. Quando, pouco depois, Diana recebeu uma chamada da mãe, Juan Carlos não a deixou atender o telefone.

O relato da jovem inclui ainda outros detalhes sobre o comportamento do pai, que estaria há vários meses sem pagar a pensão de alimentos que devia à mãe de Diana, correspondente à filha mais nova, Valeria. Tratava-se de um valor de dois mil euros mensais.

Juan Carlos Pinel já veio negar as acusações, lembrando que nunca tinha tido sido acusado de nada até ao divórcio. “Só depois do pedido de divórcio caíram nove ou dez denúncias”, diz, citado pelo El Mundo, acrescentando que só conheceu estas queixas da filha “pelos meios de comunicação”. “A única coisa que fiz foi zelar pelo interesse e cuidado das minhas filhas. Infelizmente, salvo um milagre, não creio que chegue a poder proteger a minha filha Diana”, afirmou o pai da jovem desaparecida.

Diana desapareceu a 22 de agosto, em A Pobra do Caramiñal, uma pequena localidade na Galiza. O último sinal de vida foi dado durante a madrugada, através da troca de mensagens com uma amiga. O seu telefone foi localizado pela última vez por volta das 4h da manhã, em Taragoña, uma localidade a cerca de 20 quilómetros da casa de férias da família. Das várias teorias sobre o desaparecimento (desde a fuga ao rapto), a mais recente é a de que Diana entrou num carro durante a madrugada, depois de ter ido a casa trocar de roupa, o que está, para as autoridades, a sustentar a hipótese de fuga da família.