A estreia do Concerto para viola e orquestra, de António Pinho Vargas, abre, esta quinta-feira, a 7.ª edição do Festival Cantabile, do Goethe-Institut, em Lisboa, numa parceria com a Temporada de Música da Fundação Calouste Gulbenkian.

O concerto vai contar com a violetista Diemut Poppen, como solista, a Orquestra Gulbenkian, sob a direção de Jan Wierzba, e realiza-se nas Ruínas do Convento do Carmo, em Lisboa, a partir das 21h30, num programa dominado por música barroca, com obras de Vivaldi, Telemann, Handel e Johannn Sebastian Bach, em redor do concerto de Pinho Vargas.

A violinista alemã Isabelle Faust, que apresentará em Lisboa três Sonatas e Partitas para violino solo, de Bach, e a contralto Gerhild Romberger, que interpretará o “Stabat Mater”, de Vivaldi, no concerto de abertura, são outros músicos que se destacam na programação do festival, com direção artística de Diemut Poppen, a decorrer até ao próximo dia 20 de setembro.

O segundo concerto do programa realiza-se no sábado, na antiga Igreja de São Julião, atual Museu do Dinheiro, do Banco de Portugal, e reúne o trio Diemut Poppen, em viola, Christel Lee, em violino — o mais recente vencedor do Concurso internacional Sibelius – e o violoncelista Paulo Gaio Lima, para a interpretação de obras de Johann Sebastian Bach, Eugène Ysaÿe, Wolfgang Amadeus Mozart, Luís Lopo e Beethoven.

Isabelle Faust apresentar-se-á no Palácio de Queluz, no domingo, para a interpretação de Sonatas e Partitas de Bach, num concerto que também marca o início do ciclo da orquestra Divino Sospiro, na temporada de música do Palácio Nacional de Queluz, com direção artística de Massimo Mazzeo.

O Festiva Cantabile 2016 encerra no dia 20 de setembro, terça-feira, com um concerto no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, que conta com a participação dos solistas do festival (Christel Lee e Francisco Lima Santos, violinos, Diemut Poppen e Anna Paliwoda, violas, Ivan Monighetti e Paulo Gaio Lima, violoncelos) e de solistas da Orquestra Gulbenkian (Maria Balbi e Maria José Laginha, violino, Varoujan Bartikian, violoncelo).

O programa do concerto prevê a interpretação do Quinteto em dó maior, com dois violoncelos, D956, de Franz Schubert, e do Octeto, op. 20, de Felix Mendelssohn.

O festival Cantabile 2016 inclui ainda um programa de ‘masterclasses’, apoiado pela DaKapp Filming, no Goethe-Institut – Instituto Alemão, em Lisboa.