Dark Mode 193kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

"E eu não sou uma vítima?", perguntou uma política basca durante um debate

Este artigo tem mais de 4 anos

Pilar Zabala perguntou se não era vítima de terrorismo depois do seu irmão ter sido morto por um esquadrão da morte formado pelo governo espanhol. Alfonso Alonso disse que não.

i

Captura de ecrã de vídeo do Twitter

Twitter

Captura de ecrã de vídeo do Twitter

Twitter

Um debate no País Basco esta quinta-feira acabou com um momento de grande tensão entre Pilar Zabala, representante do Podemos, e Alfonso Alonso, do PP. Os dois enfrentavam-se numa estação de televisão antes das eleições para o Parlamento Basco, marcadas para o próximo dia 25 de setembro. Depois de uma troca de palavras mais emotiva, os dois ficaram em silêncio, a olharem-se nos olhos, em direto.

Pilar Zabala é candidata do Podemos e irmã de Joxi Zabala, um militante da organização terrorista ETA que foi assassinado pelos GAL. Os GAL (Grupos Antiterroristas de Libertação) eram esquadrões da morte criados pelo governo espanhol (na época, liderado pelo PSOE) para combater a ETA, entre 1983 e 1987. Joxi Zabala foi torturado, assassinado e enterrado com cal — para acelerar o processo de deterioração — em 1983.

Durante o debate, surgiu a questão da segurança na Europa e do terrorismo. “Não me considera uma vítima de terrorismo?” perguntou Pilar Zabala a Alfonso Alonso. O representante do PP respondeu: “De acordo com a lei, tal como está escrita, não. A senhora é vítima de um excesso, de um abuso. Um ato por parte de funcionários do Estado completamente execrável e condenável“.

Depois deste momento, os dois candidatos ficaram a olhar-se nos olhos durante algum tempo, até que o moderador do debate teve de intervir e chamar a atenção dos candidatos para que o debate continuasse.

O momento encheu os meios de comunicação espanhóis esta sexta-feira e o próprio Alfonso Alonso já deixou uma mensagem no Twitter sobre o debate:

[“O teu irmão foi assassinado pelo terrorismo dos GAL. Ontem a tua dor, que partilho, impressionou-me. Tens o meu afeto e vou-te ajudar”]

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.