A mãe de uma menina de 10 anos assassinada em agosto, nos EUA, admitiu ter contratado uns homens pela Internet para matarem a sua filha. Razão: queria assistir a um homicídio.

O corpo desmembrado de Victoria Martens foi encontrado no mês passado na sua casa, no estado ocidental do Novo México, por agentes da polícia que responderam a uma chamada telefónica.

Os polícias disseram que a menina, assassinada pouco antes de fazer os 10 anos, tinha sido drogada e agredida sexualmente, antes de ser apunhalada, estrangulada e, posteriormente, desmembrada.

A mãe, Michelle Martens, e um homem chamado Fabian Gonzales, assim com a prima deste, Jessica Kelley, foram acusados de participarem no crime. A mãe, de 35 anos, terá contado aos investigadores, depois da sua detenção, que tinha sido ela a encomendar o homicídio, avança o Albuquerque Journal.

Michelle Martens encontrou-se com pelo menos três homens. Um deles seria um colega de trabalho e os outros conheceu na Internet, incluíndo Fabian Gonzales, que depois se tornaria seu namorado. A mãe terá declarado à polícia que queria assistir ao homicídio.

A mãe contou aos investigadores que viu Gonzales e Kelley injectarem metanfetamina a Victoria para a acalmar e puderem abusar sexualmente dela. Em declarações à polícia também terá dito que o seu namorado, Fabian Gonzales, depois de drogar a menina, estrangulou-a e apunhalou-a. No final, os dois desmembraram o corpo na banheira.

“Foi o homicídio mais horrível que já vi na minha carreira”, disse em agosto ao chefe da polícia de Albuquerque, Gorden Eden Jr, depois de descobrir o corpo de Victoria. “Temos visto um total desrespeito pela vida humana e esta foi a traição de uma mãe”.