O álbum Konnichiwa, do artista inglês Joseph Junior Adenuga, mais conhecido por Skepta, foi o grande vencedor da edição deste ano do Mercury Prize, atribuído pela Indústria Fonográfica Britânica. Skepta, que estava longe de ser considerado um dos favoritos, ganhou a artistas como David Bowie, Radiohead ou Laura Mvula, que era vista por muitos como a provável vencedora.

skepta_433x433_acf_cropped

O álbum “Konnichiwa”, de Skepta

No discurso de agradecimento, o artista de Tottenham, no norte de Londres, mostrou-se chocado pelo prémio. “Obrigada a todos os que me apoiaram quando estava a passar por momentos depressivos. Não sei, estou agradecido… Sem uma editora, viajámos pelo mundo”, disse, citado pelo The Guardian.

LONDON, ENGLAND - SEPTEMBER 15: Joseph Junior Adenuga aka Skepta accepting the award after being announced the winner of the Mercury Prize 2016 at the Hyundai Mercury Prize 2016 at Eventim Apollo on September 15, 2016 in London, England. (Photo by Tim P. Whitby/Getty Images)

Skepta mostrou-se chocado por receber o Mercury Prize (Tim P. Whitby/Getty Images)

Em declarações à BBC, o artista disse que ia usar o prémio de 25 mil libras (29 mil euros) para ajudar os mais necessitados. Para “alguma coisa positiva, para ajudar os que precisam a sentirem-se feliz e livres como eu me sinto”. “Estamos a fazer um projeto, aliás, estamos a construir um estúdio na minha antiga propriedade para ajudar os miúdos a fazerem música. Queremos levá-los ao museu Victoria and Albert para tocarem, para que possam experimentar porque a experiência é tudo.”

Skepta começou a sua carreira no grupo grime Meridian Crew, fundado no início de 2009. Lançou três álbuns a solo, mas foi só com Konnichiwa (2016), o quarto disco onde aborda temas como o abuso de força policial e a política britânica, que conseguiu captar a atenção do público e da crítica.