Tem 24 anos e já contribuiu para marcar a diferença. Chloe Allen é a primeira mulher a estar na linha de combate do Exército do Reino Unido. Mas há um pormenor: Chloe é uma mulher transgénero e servia antes como homem no Exército. O facto é destaque na BBC.

Chloe entrou no Exército há quatro anos e, nessa altura, identificava-se ainda como Ben. Mas a insatisfação quanto ao seu género já era notória. Em entrevista ao The Sun, Chloe revela que começou a vestir as roupas da mãe aos 8 anos, e que o gosto por roupas femininas foi aumentando. A militar disse ainda que se sentia muito “infeliz” com o facto de ter de “aprender a controlar e a eliminar” essas mesmas vontades.

Hoje, a mulher natural de Cumbria, condado no norte de Inglaterra, assume a sua identidade de género. Já alterou o nome e já iniciou a terapia hormonal. Chloe Allen disse desejar que outras pessoas se sintam inspiradas pela sua história e assumiu o “alívio” de poder falar abertamente sobre o que sente.

A presença da primeira mulher na linha da frente do Exército britânico é possível graças a uma mudança da lei, encabeçada por David Cameron. Foi em julho que o primeiro-ministro britânico decidiu aceitar essa mesma recomendação de aceitação de Nick Carter, responsável do Exército.

A mudança aconteceu depois de vários anos de estudos sobre se o trabalho naquela posição do Exército seria ou não “demasiado duro” para uma mulher. Agora, a primeira mulher a servir na linha da frente do Exército é também a primeira mulher transgénero a fazê-lo.