Alberto João Jardim pode ter deixado a política ativa, quando deixou a presidência do Governo Regional da Madeira, mas isso não significa deixar a vida pública. O líder histórico da região autónoma participou na rodagem de um novo filme madeirense revelando assim uma nova faceta de ator. Intitulado “Feiticeiro da Calheta”, o filme retrata a ilha da Madeira nas décadas de 30 e 40 do século XX, a partir da vida do poeta João Gomes Sousa, autor dos versos do Bailinho da Madeira.

No filme, dirigido por Luís Miguel Jardim, Alberto João interpreta o papel de um “pastor visionário” cheio de “sonhos”, que sonha com uma Madeira melhor e com melhores condições de vida. “Sonho que um dia, no futuro, os meninos não vão ter de andar descalços. Sonho com um futuro em que os meninos vão ter todos escolas para ir e para aprender”, ouve-se dizer o personagem interpretado por Jardim nas imagens transmitidas pela SIC.

De acordo com as explicações do realizador, Jardim interpreta um pastor que “tem a visão de que um dia as condições de vida na ilha da Madeira seriam melhores”. “Foi o que aconteceu, e muito devido ao papel Alberto João Jardim na presidência do governo regional”, segundo Luís Miguel Jardim.

Com 73 anos, é a estreia do político no grande ecrã. Em declarações à SIC, o realizador elogia ainda prestação de Jardim, dizendo ter sido “um momento inesquecível” para toda a equipa de produção que partilhou o cenário de rodagem com o ex-governante e que ouviu “as suas histórias”.

As filmagens já acabaram, tendo contado com a participação de cerca de 400 pessoas. A película está agora em fase de montagem, tendo estreia prevista para o início do próximo ano, na Madeira.