Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Estado Islâmico anunciou este domingo que o atacante que usou uma faca para ferir várias pessoas num centro comercial no Minnesota, era um soldado seu. No entanto, ainda não é evidente se o grupo radical esteve envolvido no planeamento do ataque, ou se se tratou de mais um ato dos chamados “lobos solitários”.

Oito pessoas ficaram feridas num ataque à faca levado a cabo por um homem, vestido com um uniforme de segurança privada, num centro comercial no estado americano do Minnesota. O homem, que fez referências à Alá durante o ataque, foi abatido a tiro pela polícia, de acordo com as autoridades policiais.

O incidente ocorreu num centro comercial da cidade de St. Cloud, pouco depois das oito horas da noite (hora local) de sábado. O atacante foi atingido na cabeça por um polícia que não estava de serviço e que era de outra cidade. Numa conferência de imprensa, o diretor da polícia de St. Cloud, Blair Anderesen, revelou que os oito feridos foram levados para o hospital da cidade e que não estavam em perigo de vida.

Segundo este responsável, o suspeito fez pelo menos uma referência a Alá durante o ataque com faca e perguntou a uma das vítimas se era muçulmana. Os esfaqueamentos aconteceram em vários locais do centro comercial, incluindo corredores, lojas e espaços comuns.

O atacante era conhecido da polícia por delitos menores de trânsito e não há indicação do envolvimento de outras pessoas. Blair Andereson recusou classificar, para já, o esfaqueamento como um ataque terrorista, mas garantiu que a investigação vai chegar ao fundo da questão e prometeu que a partir de amanhã (hoje) “as coisas vão ser diferentes”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR