Uma polícia de Tulsa, em Oklahoma (EUA), matou a tiro um homem negro desarmado cujo veículo se tinha avariado numa estrada. Este incidente ocorreu na sexta-feira passada (dia 16), quando Terence Crutcher regressava a casa depois de sair de uma universidade perto de Tulsa, Oklahoma. Os polícias envolvidos estão suspensos, enquanto o caso está a ser investigado, com a família a reclamar por “negligência”.

Segundo a BBC, carro da vítima avariou e Crutcher teve que encostar o veículo. Nesse mesmo momento, as autoridades apareceram e apontaram armas à vítima que se deslocou para o veículo com as mãos no ar. Segundos depois, quando aparentemente Terence se baixou junto à porta do condutor, uma polícia disparou contra o homem que acabou por falecer no hospital.

O momento do tiro foi filmado a partir de um helicóptero da polícia. Este vídeo foi divulgado e surgiram vários comentários nas redes sociais contra as autoridades. A família Crutcher disse, numa conferencia de imprensa, que pretende que estes protestos sejam pacíficos.

A irmã da vítima anunciou que irá apresentar uma acusação contra os polícias de Tulsa. A mesma fonte acrescentou que a perda de Cruther deveu-se à “negligência, incompetência e insensibilidade” das autoridades. A vítima tinha 40 anos e quatro filhos, segundo o Quartz.

O chefe da polícia de Tulsa disse ao jornal local que irão fazer “o que for correto”, sem “encobrir nada”, e argumentou que o vídeo “é muito difícil de ver”. Os polícias envolvidos nesta polémica estão suspensos.

A mesma fonte pediu à comunidade para “manter a paz”, depois de casos semelhantes no início do verão terem levado ao homicídio de cinco polícias em Dallas (Texas) e três em Baton Rouge (Luisiana). Desde o início de 2015, registaram-se cerca de 400 mortes de homens negros provocadas pelas autoridades norte-americanas.