Óbito

Morreu Curtis Hanson, o realizador de L.A. Confidencial

Morreu esta terça-feira aos 71 anos o realizador Curtis Hanson, conhecido sobretudo pelo filme L.A. Confidencial e também pelo 8 Mile, filme protagonizado pelo rapper Eminem.

Curtis Hanson já estava retirado do cinema devido ao Alzheimer

Getty Images

Morreu aos 71 anos o realizador Curtis Hanson, mais conhecido pelo filme L.A. Confidencial, de 1997, e pelo 8 Mile, de 2002, protagonizado pelo rapper Eminem. Hanson, que já estava afastado do trabalho há alguns anos, devido ao Alzheimer, foi encontrado morto esta terça-feira, por volta das 17h (já durante a madrugada em Portugal), na sua casa em Hollywood Hills, de acordo com a polícia de Los Angeles, escreve o The Guardian. As autoridades confirmaram que Hanson morreu de causas naturais.

O realizador nasceu na cidade americana de Reno, no estado do Nevada, em 1945, e começou a realizar filmes na década de 70, depois de ter deixado a escola para trabalhar como fotógrafo. O primeiro sucesso só apareceu, contudo, em 1992, com o thriller A Mão que Embala o Berço. Aquele que seria o grande filme da sua carreira, L.A. Confidencial, uma história sobre corrupção policial, só viria em 1997, resultado da adaptação do romance de James Ellroy. O filme viria a ganhar, em 1998, o Óscar para Melhor Argumento Adaptado, mas perdeu os prémios de melhor filme e melhor realizador para Titanic, também de 1997.

Hanson disse, em 2001, que sempre quis fazer um filme sobre o sítio onde cresceu. “A diferença entre a ilusão e a realidade, a maneira como as pessoas e as coisas parecem ser versus a forma como são realmente” era um tema que o realizador queria explorar, admitiu. “E Hollywood, obviamente é a cidade da ilusão”.

LOS ANGELES, UNITED STATES: Oscar winners for Best Adapted Screenplay Curtis Hanson (L) and Brian Helgelow, pose for photographers 23 March at the 70th Annual Academy Awards at the Shrine Auditorium in Los Angeles. (ELECTRONIC IMAGE) AFP PHOTO/Hector MATA (Photo credit should read HECTOR MATA/AFP/Getty Images)

Curtis Hanson (à esquerda) venceu, em 1998, o Óscar de Melhor Argumento Adaptado, com o filme L.A. Confidencial, juntamente com Brian Helgeland, o argumentista do filme (à direita). (HECTOR MATA/AFP/Getty Images)

A carreira de Hanson também ficou mercada por outros filmes, como Wonder Boys (Os Prodígios, em Portugal), ou 8 Miles, um filme sobre a vida de um rapper, protagonizado por Eminem. Curtis Hanson realizou ainda o filme Rio Selvagem, em 1994, com Meryl Streep. O último filme realizado por Hanson foi Chasing Mavericks – Realizar o Impossível, de 2012.

As reações das estrelas de Hollywood já começaram a chegar. Russel Crowe, que protagonizou L.A. Confidencial ao lado de Kevin Spacey, agradeceu ao realizador no Twitter por ter acreditado em si. “Na verdade, transformaste o meu emprego numa carreira”, escreve Crowe.

Também o ator Rob Lowe, que participou no filme Influência Fatal, de 1990, realizado por Hanson, disse que “foi uma honra” trabalhar com o realizador, que considera “um grande contador de histórias”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt
Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)