Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No Dia Europeu Sem Carros, 22 de setembro, a Vodafone Portugal desafiou os colaboradores a deslocarem-se até ao local de trabalho num meio de transporte diferente do que utilizam diariamente: de bicicleta. O mote foi o teste da aplicação Horizontal, lançada esta quinta-feira na App Store.

A Horizontal é uma aplicação criada para facilitar as deslocações de bicicleta dentro das cidades criando rotas que sejam o mais planas possíveis, incluindo em Lisboa, a cidade das sete colinas. A app foi a vencedora do concurso de empreendedorismo Vodafone Big Smart Cities 2015 – competição promovida pelo Vodafone Power Lab – e foi lançada oficialmente no mercado.

No pátio central da Vodafone Portugal estavam mais de 100 bicicletas utilizadas pelos colaboradores e convidados, que chegaram à sede liderados pelo diretor geral Mário Vaz (uma viagem que começou na Av. de Roma). A aplicação foi idealizada pelo arquiteto belga Kobe Vanhaeren, que esteve presente na apresentação da aplicação. “Conheci a minha mulher na Bélgica e foi impossível não me mudar para Portugal”, foi assim que Kobe iniciou o discurso de apresentação da Horizontal. O arquiteto contou as dificuldades que sentiu em deslocar-se de bicicleta em Lisboa devido às elevadas inclinações das estradas e a falta de ciclovias, e foi daí que começou a surgir a ideia da Vodafone Horizontal.

Inicialmente a ideia da equipa responsável pelo projeto seria criar ciclovias por todas as ruas, mas rapidamente se aperceberam que seria um projeto quase impossível.

Vodafone Horizontal

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta aplicação, que estará disponível em breve também para Android, consegue prever diversas rotas para o utilizador se deslocar de bicicleta sem que estas passem por ruas com uma inclinação superior a 4%. “Quer dizer, não é bem assim”, refutou Kobe durante a apresentação, “a aplicação ajusta-se consoante o perfil do utilizador.

Inicialmente é preciso configurar um perfil em que a aplicação fica com a informação de que tipo de ciclista está a utilizar a Horizontal, se é um principiante, um utilizador regular ou um profissional. Consoante o destino, e o perfil do utilizador, podem surgir inclinações superiores a 4% no caminho.” A aplicação cria as rotas entrando em conformidade com o perfil e com o destino programado, uma vez que pode compensar mais subir uma rua com inclinação de 6% do que de 2% dependendo do comprimento da mesma.

Horizontal

Além do percurso, esta aplicação permite calcular tempos, distâncias, as calorias consumidas no exercício e até a quantidade de CO2 que não foi libertado na atmosfera.

Para já a aplicação funciona nas cidades de Lisboa e Bruxelas, mas já estão a ser desenvolvidos e implementados os circuitos de cerca de 450 cidades. Muitas delas deverão estar operacionais até ao final do ano. Esta é uma iniciativa que pretende contribuir para uma mobilidade cada vez mais inteligente, sustentável, e saudável.