E se pudesse meter uma moedinha na máquina do tempo e viajasse até a uma Lisboa da viragem do século XIX para o século XX? Pois bem, já está: bem-vindo ao passado. “Lisboa uma grande surpresa”, uma exposição da responsabilidade do Fundo Antigo do Arquivo Municipal de Lisboa/Fotográfico, estará em exibição entre 23 de setembro e 23 de janeiro, no Arquivo Fotográfico Municipal, na Rua da Palma, perto da estação de metro do Martim Moniz.

Os nomes dos inventores desta viagem, os fotógrafos, até estiveram na sombra durante praticamente um século. José Candido d’Assumpção e Souza (1856-1923) e Arthur Júlio Machado (1867- 1947), então desenhadores da CM Lisboa, retrataram a cidade durante dez anos (1898-1908), à boleia de vistas de bairros históricos, paisagens, ruas, praças e monumentos. Os autores captaram ainda a verdade e a vida da cidade, com transeuntes, crianças e vendedores nas suas atividades banais do dia-a-dia.

“Há uma intenção clara de inventariar, mapear, cartografar e fotografar no levantamento prédio a prédio”, pode ler-se no site do Arquivo Municipal, “assim como noutros registos a decorrer na cidade da época, discutidos e apoiados pela Câmara, acompanhando as tendências europeias de modernização da cidade”.

A seleção das 130 fotografias e informação, extraídas do Arquivo Municipal e do Museu de Lisboa, foi levada a cabo por uma equipa de investigadores liderada pelo fotógrafo José Luís Neto, conta O Corvo. “Há aqui imagens absolutamente fantásticas”, disse Neto à mesma publicação. Sobre José Candido d’Assumpção e Souza e de Arthur Júlio Machado, assegurou: “São, sem dúvida, dois nomes importantes para a história da fotografia portuguesa”.