Um português foi preso na Suíça por ter afogado dois cães no rio Aar, em Aarburg, no cantão de Argóvia, escreve o jornal suíço Telebasel. O homem, de 36 anos, atou os animais a uma corda, que atou a uma barra de metal. Os animais foram encontrados no sábado à tarde a cerca de três metros da margem do rio, por um homem que passava pelo local e chamou a polícia.

As circunstâncias do crime não ficaram totalmente esclarecidas na segunda-feira, dia em que a polícia prendeu o homem — o marido da dona dos animais –, e as autoridades já abriram uma investigação criminal por violência contra animais. O homem pode enfrentar um máximo de três anos de prisão, mas um advogado de direitos humanos ouvido pelo jornal suíço 20 Minuten duvida de que a pena seja tão longa. “Penso que 12 meses de prisão, complementados com uma multa, é uma pena realista”, afirmou Antoine F. Goetschel.

“Não entendo como é que alguém pode fazer uma coisa destas. Os cães não tiveram hipótese”, explicou ao 20 Minuten o vice-comandante dos bombeiros de Aarburg, Martin Ryser. “Os corpos dos animais já estavam rígidos quando foram retirados da água”, explicou o responsável. De acordo com um comunicado da polícia, os animais afogaram-se após algum tempo de agonia.

Ao mesmo jornal, a mulher do detido, Carla S., admitiu ser a culpada, por não gostar dos cães. “A culpa de ele ter matado os cães é minha. Ele fê-lo por mim”, explicou a portuguesa, acrescentando que, na semana passada, os cães desapareceram de repente. “Quando lhe perguntei, ele disse-me: ‘Nem queiras saber’. Mas o meu marido tem um bom coração, nunca faria uma coisa destas por ele”, contou Carla S.

Os vizinhos do casal já se tinham dado conta de que os portugueses tinham uma relação difícil com os cães, e já se tinham até oferecido para cuidar dos animais durante o dia. “Ela queria simplesmente dar-me o cão, mas eu não tenho dinheiro para cuidar dele”, explicou um vizinho ao 20 Minuten.