O ex-Presidente da República, Jorge Sampaio, disse este sábado que os desafios na Saúde a nível mundial exigem respostas, globais, ou seja, de todos os países. “A globalização requer regulação e esta exige o reforço da diplomacia multilateral”, defendeu o Sampaio no discurso de abertura da Be Well Global Health Conference, que decorre durante todo o dia no Meo Arena, em Lisboa.

Numa alusão às funções que desempenhou entre 2006 e 2012, como “enviado especial das Nações Unidas para a tuberculose”, Jorge Sampaio lembrou que correu mundo. “E nunca vi tanta ignorância em relação a esse tema”, disse.

Sampaio afirmou que “a dignidade humana manifesta-se, antes de mais, no terreno da vida e da saúde” e acrescentou que “perante este quadro sombrio importa lembrar que da história nos chega igualmente um acervo de realizações que justifica que continuemos a acreditar num futuro melhor”. No entanto, defende, “para enfrentar este tipo ameaças é necessária ação coletiva”.

Na conferência, várias personalidades portuguesas e estrangeiras refletem sobre os “grandes desafios da saúde a nível global”. Discutem-se temas tão diversos como as pandemias, o impacto das desigualdades sociais na saúde ou, mesmo, a procura da felicidade.

A conferência encerra pelas 17h30 com o discurso do secretário de estado da Saúde, Manuel Delgado.