O secretário de Estado do Vaticano vai apresentar em Lisboa, na quarta-feira, na Universidade Católica, uma conferência sobre “A Diplomacia da Santa Sé nos últimos pontificados”, anunciou a instituição.

Ainda na quarta-feira, Parolin segue para Fátima, que vai visitar pela primeira vez e onde vai presidir a 12 e 13 de outubro à peregrinação internacional aniversária de Fátima.

Perito em assuntos relacionados com o Médio Oriente, o cardeal Pietro Parolin participou no processo de consolidação das relações diplomáticas entre o Vaticano e o Vietname.

O cardeal integrou a comissão bilateral permanente entre o Vaticano e Israel e, em 2014, desempenhou um papel fundamental na aproximação entre Cuba e os Estados Unidos.

A 27 de setembro, esteve em Cartagena das Índias para a assinatura do acordo de paz entre o governo colombiano e a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Em agosto de 2013, o papa Francisco nomeou o ex-núncio na Venezuela e arcebispo Pietro Parolin como responsável da Secretaria de Estado do Vaticano.

O anúncio da nomeação de Pietro Parolin como cardeal aconteceu a 12 de janeiro de 2014 e a 22 de fevereiro do mesmo ano foi feito cardeal, no primeiro consistório ordinário do papa Francisco.

Pietro Parolin licenciou-se, em 1986, na academia que forma os diplomatas do Vaticano e começou a trabalhar nas nunciaturas, primeiro na Nigéria e depois no México, até 1992, quando regressou a Roma para integrar a Secretaria de Estado do cardeal Angelo Sodano (1991-2006).

Em 2002, foi nomeado subsecretário para as Relações com os Estados (“ministério dos negócios estrangeiros”) e, em 2009, o papa emérito Bento XVI escolheu Parolin como núncio na Venezuela, numa tentativa de melhorar as relações com o então presidente Hugo Chavez e a hierarquia católica.