Parte da cidade de Chemnitz, no leste da Alemanha, foi evacuada no sábado, mas a polícia continua à procura de um suspeito, que está em fuga e que estaria a preparar um ataque à bomba. O suspeito é um sírio de 22 anos chamado Jaber Albakr. A polícia da região alemã da Saxónia anunciou ter encontrado “material explosivo altamente sensível” e que terá sido evitada uma explosão iminente.

Os explosivos estavam num apartamento de uma zona residencial conhecida como Fritz-Heckert, na parte Sul de Chemnitz e a polícia evacuou, pelo menos um bloco de apartamentos. Na sequência do alerta, foram detidas quatro pessoas, sendo que três delas foram detidas no sábado. Os detidos são conhecidos do jovem sírio, sendo que dois foram presos nas proximidades da estação central de Chemnitz, um terceiro no centro da cidade e, finalmente, um quarto num apartamento da cidade, já durante este domingo.

A zona da casa do suspeito foi vedada e, nas redes sociais, a polícia solicitou, em alemão e em inglês, que a população permaneça em casa na zona que está dentro do perímetro de segurança assinalada. Polícia pediu ainda que habitantes seguissem as instruções policiais.

“Por favor, não publiquem fotos ou vídeos das medidas policiais, caso contrário podem estar a colocar em risco a operação”, lê-se noutra mensagem publicada na rede social Twitter pela polícia.

À imprensa local, habitantes na zona vedada contaram terem sido acordados manhã cedo por agentes da polícia, armados com metralhadoras, que lhes disseram para sair dos edifícios. Os habitantes abandonaram a área em autocarros.

Várias partes da zona de Fritz Heckert foram barradas a civis e a polícia informou, segundo a imprensa alemã, que a porta de uma casa foi arrombada à procura do suspeito, que já terá sido identificado. Trata-se de um refugiado sírio proveniente de Damasco.

“Estamos a levar a cabo uma operação de grande escala em Chemnitz, devido a suspeitas de preparações de um ataque bombista”, afirmou porta-voz da polícia alemã. “Um suspeito que procuramos não foi, para já, encontrado”.

Centenas de polícias ajudaram a evacuar a zona, acordando os residentes ao som de metralhadoras e encaminhando-as para autocarros. As pessoas foram aconselhadas a não partilhar fotos das forças policiais nas redes sociais.

A operação terá partido de uma dica de alguém ligado aos Serviços Secretos. Mas, segundo a Reuters, que cita um porta-voz das autoridades policiais da Saxónia, “o como, o quando, o onde e o porquê” ainda não são totalmente conhecidos.

O mesmo porta-voz acredita que a situação está controlada porque a zona evacuada é tão grande que é possível “excluir, praticamente, que exista qualquer risco para a população”.

A região da Saxónia foi cenário, nos últimos meses, de vários incidentes xenófobos, incluindo vários ataques contra centros de refugiados.