Aquilo que pode parecer hoje um evento pouco mais do que banal — um festival de gastronomia a nível nacional — foi, em 1980, uma pedrada (leia-se pratada) no charco. O Festival Nacional de Gastronomia de Santarém tem, por isso, o mérito de ter sido o pioneiro nisto de celebrar os sabores de todo o país ao longo de vários dias de festa.

Passados 36 anos, o evento continua a querer inovar. Daí que a edição deste ano se dedique, pela primeira vez, aos sabores do mar português, numa parceria com o Ministério do Mar e com a Secretaria de Estado das Pescas — quer isto dizer que ao longo do evento não faltarão atividades dedicadas aos produtos marítimos típicos dos 9 municípios convidados, da enguia da Lagoa de Santo André ao choco frito de Setúbal. E não é só: pelo segundo ano consecutivo, o festival apresenta um restaurante-conceito, o Lucky 13, com um leque de chefs convidados bem interessante. Mas já lá vamos.

FNG-EG

Ao longo do evento não faltarão oportunidades para aceitar este tipo de convite.
(foto: © EG | Clementine Things)

Antes disso, registem-se outros momentos significativos do evento: a final do concurso Jovem Talento da Gastronomia (24 e 25 de outubro), o fórum Que Gastronomia para o Futuro de Portugal (25 de outubro), workshops diários organizados pela Escola Superior Agrária — Instituto Politécnico de Santarém (de 24 a 26 de outubro), cursos de vinhos (de 25 a 28 de outubro), o seminário Artes da Mesa (26 de outubro) e um salão de vinhos a decorrer em paralelo. O programa completo pode ser consultado aqui.

“Então e o que se come?” perguntará o/a leitor/a (e com razão). Muita coisa, na verdade. Tal como acontece frequentemente nestes eventos, não faltarão no recinto uma série de tasquinhas tradicionais (12 no total), além de alguns agro-produtores de várias regiões que servirão petiscos à base do que produzem localmente. Mas a estrela da companhia, neste campeonato, é outra — o tal Lucky 13, uma espécie de restaurante de campanha.

programaLucky13

O cartaz completo do Lucky 13.

É nele que ao longo de nove noites (de 22 a 31 de outubro), 18 dos mais jovens e talentosos chefs do país vão elaborar menus a quatro mãos — exceto na noite de 30, que é especial e ficará a cargo de seis chefs — onde vão combinar inovação e tradição culinária.

Entre os presentes contam-se, por exemplo, os ribatejanos Rodrigo Castelo, do Taberna Ó Balcão (23 e 30 de outubro), Manel Lino, do Trio (28 de outubro) — que convidará Telmo Moutinho, chef pasteleiro do Alma e jurado de Best Bakery — e Igor Martinho, do Mãe Luísa (26 de outubro), os portuenses Vasco Coelho Santos, que prepara o seu projeto Euskalduna, (25 de outubro) e Francisco Magalhães, ex-Apicius e atualmente à frente da cadeia Cento e Quatroº (31 de outubro) ou o lisboeta Hugo Brito, do Boi-Cavalo (31 de outubro), entre muitos outros. Os jantares, em formato menu degustação, custam 35€ por pessoa com bebidas incluídas e começam sempre às 21h.

Lucky. Clem. EG 109

Um registo da edição do ano passado do Lucky 13. (foto: EG | Clementine Things)

O quê: Festival Nacional de Gastronomia de Santarém
Quando: De 21 de outubro a 1 de novembro
Onde: Casa do Campino, Campo Emílio Infante da Câmara, Santarém
Preços: O bilhete simples custa 2€. De 24 a 26 de Outubro a entrada é gratuita até às 17h00. Crianças até aos 11 anos (inclusive) não pagam.
Site: www.festivalnacionaldegastronomia.pt

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR