O Haiti enfrenta uma crise humanitária que requer uma “resposta massiva” da comunidade internacional, com pelo menos 1,4 milhões de pessoas a precisar de ajuda após a passagem do furacão Matthew, disse, segunda-feira, o líder da ONU, Ban Ki-moon.

A tempestade matou pelo menos 372 pessoas no país, prevendo-se que o número suba significativamente quando as equipas de resgate conseguirem chegar a zonas que estavam inacessíveis. O Matthew destruiu casas, fontes de água e matou animais de criação.

As Nações Unidas lançaram um ‘apelo relâmpago’ para angariar 120 milhões de dólares de modo a cobrir as necessidades urgentes do Haiti nos próximos três meses.

“Uma resposta em massa é necessária”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

“Algumas cidades e vilas foram praticamente apagadas do mapa. Estes números e necessidades estão a aumentar à medida que mais zonas afetadas são alcançadas”, disse.

Após atingir o Haiti no dia 4 de outubro, o furacão deslocou-se para os Estados Unidos, onde matou pelo menos 20 pessoas.