O Tradiio está a protagonizar a maior campanha de crowdfunding (financiamento coletivo) de uma empresa portuguesa na Seedrs: são 600 mil euros para entrar em força no mercado norte-americano, em Los Angeles, e escalar o modelo de negócio a milhões de artistas. Em troca do financiamento, a startup portuguesa cede 13% do capital social.

Não há melhor forma de mostrar que o crowdfunding funciona do que fazer a nossa próxima ronda através do mesmo modelo. Esta é a oportunidade perfeita para envolvermos a comunidade portuguesa na internacionalização do Tradiio nos Estados Unidos a partir de Los Angeles”, afirmou o CEO do Tradio, Álvaro Gomez, em comunicado.

Em abril, o Tradiio lançou a versão beta de uma ferramenta que permite a qualquer pessoa apoiar os artistas que mais gosta, através de um donativo mensal, em troca de acesso a conteúdo exclusivo. Com esta operação de financiamento, a plataforma de streaming de música portuguesa fica avaliada em 4 milhões de euros.

O Tradiio foi fundado por Alvaro Gomez, André Moniz e Miguel Leite em 2014 e conta atualmente com 1,75 milhões de euros de investimento. Está presente em mais de 100 países, sendo que aqueles que reúnem maior número de artistas são os Estados Unidos, Reino Unido, Portugal e Brasil. A plataforma que permite descobrir, apoiar e financiar artistas novos com cerca de 30 mil artistas no portefólio e mais de 250 mil utilizadores.

Em maio de 2016, o Tradiio foi considerado uma das 10 startups mais disruptivas do mundo, segundo o ranking da Disrupt 100. De acordo com a publicação, “nenhuma outra plataforma conseguiu agregar, de forma efetiva, um sistema de streaming através de um sistema de crowdfunding. O Tradiio parece ser a plataforma, não só para lançar a carreira de novos artistas, mas também para providenciar uma forma sustentável de assegurar o acesso ao conteúdo”.

Para Filipe Portela, diretor de desenvolvimento de negócios da Seedrs, “é cada vez maior e significativo o interesse de empresas portuguesas em captar financiamento através do equity crowdfunding [investimento coletivo em troca de ações], assim como é, igualmente, cada vez mais expressivo o interesse por parte dos investidores”.

A Seedrs é uma plataforma de financiamento coletivo luso-britânica, com escritórios em Lisboa, Londres, Nova Iorque e Amesterdão. Entre as empresas portuguesas que conseguiram completar campanhas de crowdfunding n Seedra estão a Coacher, a Agroop, a Climber Hotel e a eSoldiar. É a primeira plataforma de crowdfunding no mundo a ter a sua atividade regulada e autorizada pelo supervisor britânico, a Financial Conduct Authority.