Depois de, em 2015, ter sido descoberta uma base meteorológica nazi no Ártico — que foi habitada por cientistas alemães e foi a última unidade a render-se após o final da Segunda Guerra Mundial –, um grupo de investigadores russos descobriu uma outra antiga base secreta nazi na região. Apesar de a descoberta ter acontecido em agosto, por uma expedição que explorava o Parque Nacional do Ártico Russo, só agora foram divulgadas imagens da antiga base.

Na antiga localização secreta do exército de Hitler, batizada com o nome Schatzgraber, foram encontradas cerca de 500 peças de valor histórico, segundo o jornal espanhol ABC, incluindo munições, diversos equipamentos militares, eletrodomésticos, objetos pessoais e equipamentos de investigação meteorológica. De acordo com o Parque Nacional, os objetos remontam ao período entre setembro de 1943 e julho de 1944.

Um dos investigadores, Evgeny Ermolov, explicou ao ABC que “a estação foi destruída deliberadamente nos anos 50 do século passado, e só sobreviveram, no seu interior, fragmentos, restos dos escombros, partes do edifício. Não podemos, de momento, chegar a nenhuma conclusão”.

O frio ajudou a conservar peças de plástico, madeira, couro e outros tecidos naturais, mas o metal foi oxidando ao longo dos anos. Os investigadores ainda estão a analisar os restos encontrados para “confirmar o número de membros que havia na estação e delimitar mais concretamente o seu período de atividade”. Suspeita-se ainda de que a base poderá ter sido evacuada de emergência em julho de 1944 devido a uma infeção geral dos funcionários, após terem comido carne de urso polar.