O jornalista de investigação suíço François Pilet é o criador de uma conta de Twitter que permite rastrear os voos de ditadores de e para Genebra. A ideia é ajudar a pôr a descoberto a natureza de alguns negócios que são feitos na cidade suíça.

A conta de Twitter que se atualiza automaticamente (trata-se de um “bot”) foi batizada de GVA Dictator Alert e acompanha aviões que estejam associados a governos autoritários — publica tanto as chegadas como as partidas. Desde abril deste ano a página de perfil já registou mais de 60 voos e, segundo o site The Verge, está de olho em 80 aparelhos diferentes.

François Pilet considera este um mercado “muito secreto”. Ao The Verge, Pilet admitiu que saber eventuais chegadas e partidas de ditadores não deixa perceber ao certo a atuação desses governantes, no entanto poderá permitir a outros jornalistas (e a qualquer pessoa) questionar o porquê da sua presença em solo suíço — certo que a sede das Nações Unidas na Europa é em Genebra, mas há outros motivos a pôr em cima da mesa, que o autor aponta, como a lavagem de dinheiro ou evasão fiscal.