314kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Trump sobre mulher que o acusa de assédio: "Alguém acredita naquela maluca?!"

Este artigo tem mais de 4 anos

Donald Trump chamou "maluca" a uma das mulheres que o acusam de assédio sexual num discurso de campanha. "As eleições estão feitas, porque há pessoas falsas a surgir com alegações falsas", queixou-se.

O candidato presidencial do Partido Republicano, Donald Trump
i

O candidato presidencial do Partido Republicano, Donald Trump

Ralph Freso/Getty Images

O candidato presidencial do Partido Republicano, Donald Trump

Ralph Freso/Getty Images

O candidato presidencial do Partido Republicano, Donald Trump, referiu-se a uma das mulheres que têm vindo a público para relatar histórias em que conta episódios de abuso sexual como “maluca” e descredibilizou a sua história. A mulher em questão chama-se Jessica Leeds, tem 74 anos, e a sua história foi publicada no The New York Times. De acordo com Leeds, Trump convidou-a para juntar-se-lhe na primeira classe de um voo. “As mãos dele estavam em todo o meu corpo”, disse Leeds. “Ele parecia um polvo.”

“Estas eleições estão feitas”, disse Trump, num discurso em Portsmouth, New Hampshire, repetindo uma frase que já lhe é conhecida e que tem complementado com referências às polémicas mais recentes em torno da sua campanha e da sua personalidade. “As eleições estão feitas, porque há pessoas falsas a surgir com alegações falsas, sem qualquer tipo de testemunha, e que falam de histórias de há 20 ou 30 anos”, disse. “Então e aquela maluca do avião? Alguém consegue acreditar nela?”

De acordo com o relato de Leeds, Trump começou a tocar-lhe de forma sexual depois de ter sido servida uma refeição a bordo, aproximadamente 45 minutos depois de o avião ter levantado voo. “Seja lá como foi, de repente o apoio para o braço desapareceu e foi um choque para mim quando, de repente, as mãos dele estavam em todo o meu corpo”, contou a mulher de 74 anos ao The New York Times.

No discurso desta tarde, Trump chegou a questionar alguns detalhes da história de Leeds. “Alguém consegue acreditar nela? Então vejam só: depois de 15 minutos juntos [ao The New York Times, Leeds não refere quanto tempo demorou o alegado assédio sexual], e nós não nos conhecíamos, ela diz ‘isto é demasiado para mim’. 15 minutos? Com as senhoras que aqui estão, bastaria um segundo e…”, disse, simulando o gesto de uma chapada no ar. “Smack!”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Desde que a história de Leeds foi publicada no The New York Times, também já circula na internet, nos meios favoráveis ao candidato republicano, a informação de que no tipo de avião onde o assédio terá ocorrido os descansos para o braço não se levantavam. A ideia foi inicialmente lançada por uma porta-voz da campanha de Donald Trump. Depois de referir quais os aviões que podiam ter sido usados naquele voo, Katrina Pierson disse: “Sabem que mais? Os aviões de primeira classe tinham os apoios para os braços fixos, por isso eu posso dizer que a história dela, se ela alguma vez foi apalpada num avião, não foi por Donald Trump e certamente que não foi na primeira classe”.

Veja o vídeo da denúncia de Jessica Leeds, em declarações exclusivas ao The New York Times:

A página está a demorar muito tempo.