Mais de 1150 horas de trabalho especializado realizado na carroçaria e nos interiores, mais de 780 horas dedicadas à mecânica e ao circuito eléctrico. Recorrendo apenas a peças de origem, o Lamborghini 350 GT de 1964, com o chassi número 0121, esteve um ano a ser totalmente restaurado pelo PoloStorico, a divisão da casa de SantAgata Bolognese dedicada aos clássicos. E foi devolvido ao seu estado mais original e puro.

Esta foi uma das primeiras 15 unidades produzidas deste emblemático modelo da marca italiana e, por isso, conta com algumas características particulares, entretanto alteradas com o decorrer da produção. Todas elas foram alvo de minuciosa investigação, e repostas, sempre que necessário, durante o processo de restauro.

O chassi original e os painéis da carroçaria recuperaram a sua geometria original, tendo sido igualmente alvo de aturados trabalhos o motor e o sistema de refrigeração, o sistema de travagem e o sistema de alimentação do motor, para assegurar tanto a segurança do veículo como a sua autenticidade.

O interior, em pele preta, foi recuperado através de processos clássicos, semelhantes aos utilizados à data de produção do 350 GT, ao passo que o volante em madeira, assim como os pedais de embraiagem, travão e acelerador, foram restaurados, mas exibindo alguns sinais, propositados, de uso e desgaste. O auto-rádio também é o de origem, e funciona tão bem como em 1964, quando o veículo foi entregue ao seu primeiro proprietário.

451591

A carroçaria foi pintada de branco, fazendo uso da mesma fórmula nitroacrilíca e das mesmas técnicas de antigamente: aplicação de 22 camadas de tinta com lixagem entre cada camada, o que confere ao veículo uma elegância muito particular, ao mesmo que acentua a beleza das suas linhas. As jantes originais foram restauradas e autenticadas pela milanesa Ruote Borrani, seu fornecedor original, sendo revestidas por pneus Pirelli Cinturato de medida 205/15 a estrear, mas iguais aos montados no modelo original.

A entrega deste Lamborghini 350 GT tão especial teve lugar num evento igualmente especial, em que o seu proprietário fez questão de incluir a condução em pista para primeiro teste dinâmico. O veículo percorreu na perfeição 80 km no Autódromo de Modena, obviamente na presença do seu dono, e revelou um equilíbrio geral perfeito e prestações ao nível do prometido em 1964, quando saiu das linhas de produção.

Quanto aos valores envolvidos numa operação deste género, ficaram no segredo dos deuses…