O assalto a uma carrinha de transporte de valores na noite de sábado, no Barreiro, que resultou em dois assaltantes feridos a tiro — um acabou por morrer no local — e dois polícias feridos está a ser investigado pela Polícia Judiciária. Os dois suspeitos que tombaram na troca de tiros com a polícia não traziam identificação, mas a PJ acredita que tenham já ficha policial e que não seja difícil saber quem são através das impressões digitais. A partir daqui, será mais fácil chegar aos restantes cinco suspeitos.

O crime aconteceu no hipermercado Continente da Verderena, no Barreiro, quando um grupo de assaltantes atacou o funcionário de uma carrinha de transporte de valores da Esegur, que se preparava para recolher o dinheiro somado ao longo daquele dia de trabalho no centro comercial, segundo confirmou o superintendente Viola da Silva, do Comando da PSP de Setúbal.

Segundo fonte da PJ, terão sido testemunhas que se aperceberam do assalto que alertaram a PSP. Quando os assaltantes abandonavam o local foram abordados por uma patrulha da PSP e abriram fogo. Os dois polícias da patrulha saíram do carro na tentativa de intercetar os suspeitos e acabaram feridos por tentativa de atropelamento. Não correm risco de vida.

Na troca de tiros, dois suspeitos tombaram, mesmo com o uso de coletes antibala. “Os suspeitos estavam caídos junto ao carro que tinham usado no crime”, disse fonte da PJ ao Observador. Um deles morreu no local. Ao que tudo indica a bala passou ao lado do colete que vestia e atingiu-lhe um órgão vital. Só a autópsia poderá confirmar se foi morto pela Polícia ou por uma munição inadvertida disparada por si ou pelo outro assaltante. O outro suspeito foi assistido pelo INEM no local. Foi levado para o Hospital do Barreiro e depois transferido para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

A PSP ainda deteve um terceiro suspeito do crime que se encontraria no local na posse de um gorro “passa montanhas”. Mas ainda se desconhece se, de facto, este homem está relacionado com o crime.

Segundo testemunhas no local à SIC, pelo menos cinco assaltantes conseguiram escapar pelo descampado sem iluminação ao centro comercial. Há mesmo quem garanta que alguns assaltantes tentaram forçar a entrada num prédio para se refugiarem, mas acabaram por fugir em direção ao Parque da Cidade que fica nas imediações. A Polícia Judiciária acredita que houvesse um outro carro envolvido no assalto e coloca a hipótese de não serem apenas sete assaltantes.

O carro apreendido pela polícia, de marca SEAT, só tinha capacidade para transportar cinco pessoas. A polícia acredita que este carro tenha sido furtado, uma vez que esta com uma ligação direta. O carro usado estava à venda no OLX e não tinha seguro.

Mais. Pela forma de atuação dos assaltantes, que usavam coletes antibala, gorros e pelas armas recuperadas — uma metralhadora, um revólver, uma pistola e uma shotguna PJ acredita estar perante “profissionais” do crime, com alguma “sofisticação”. No local foi recuperado um carrinho de compras com o dinheiro. Por se tratar de um caso de assalto a uma carrinha de valores, é a Unidade Nacional Contra Terrorismo da Polícia Judiciária que está a investigar.

Este domingo de manhã, o hipermercado Continente abriu as portas e a atividade do centro comercial manteve a atividade normal.

(Artigo atualizado às 19h15)