Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Sinuoso, branco e cheio de curvas: o Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões foi o cenário escolhido para abrir o último dia do Portugal Fashion e dificilmente haveria melhor casa para receber Katty Xiomara e Luís Buchinho. A primeira inspirou-se no mar para encher camisas de escamas e criar vestidos com redes de pescadores, o segundo fez as suas modelos serpentearam por uma sala envidraçada para apresentar coordenados igualmente cheios de arestas interessantes. À 39ª edição, o Portugal Fashion entrou em velocidade de cruzeiro somando 36 desfiles em quatro edifícios marcantes. Foram também quatro dias com passagem por Lisboa, um calendário próprio para a plataforma Bloom (dedicada aos jovens criadores), novos designers em exclusividade — como Pedro Pedro, Carlos Gil e Alexandra Moura –, e o regresso do showroom Brand Up à sala de boas-vindas da Alfândega do Porto. Tudo junto, um propósito: dar visibilidade aos criadores portugueses dentro e fora da passerelle.

Em Leixões, subindo a rampa circular do edifício projetado por Luís Pedro Silva, o desfile de Luís Buchinho encheu uma sala semi-transparente muito para além dos lugares sentados com as peças para a mulher “sport sexy” que já tinha mostrado em Paris. Numa manhã de chove-não-chove o sol lá apareceu e Katty Xiomara pode apresentar a sua “Companhia das Agulhas” ao ar livre. Enquanto o mar servia de cenário de fundo, os cargueiros se avolumavam e as gaivotas iam passando, as suas roupas mostravam presilhas em forma de peixes, golas de marinheiro e escamas muito semelhantes às das paredes do próprio edifício — essas feitas em cerâmica Vista Alegre.

_DSC2219

Katty Xiomara apresentou a sua coleção ao ar livre, num terraço do terminal de cruzeiros, e com vista para o mar. (Foto: Jorge Vieira)

Já na Alfândega do Porto, quartel-general do Portugal Fashion há muitos anos, o resto do dia dividiu-se entre moda de autor e marcas mais comerciais, com Miguel Vieira a casar as duas vertentes ao apresentar a sua primeira linha desportiva de sempre, em parceria com a Sport Zone.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois do desfile coletivo das marcas de calçado Ambitious, Dkode, Fly London, JJ Heitor, J. Reinaldo e Nobrand, das peças feitas fio a fio da Pé de Chumbo, da camisaria da Vicri, da mulher de Ana Sousa e do homem da Dielmar (agora com as designers Nair Xavier e Rita Gaspar ao leme), Elsa Barreto trouxe de volta a modelo Diana Pereira e Fátima Lopes o tema do mar.

A fechar a noite a mesma variedade, diferentes geografias: primeiro com Carlos Gil e a coleção multicultural que levou há menos de um mês à Semana da Moda de Milão, depois com a marca de inspiração britânica Lion of Porches, desta vez virada para as raízes do ténis — e com João Lagos a desfilar.

Organizado pela Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) em parceria com a ATP – Associação de Têxtil e Vestuário de Portugal, o Portugal Fashion regressa ao Porto daqui a seis meses, altura em que irá assinalar 40 edições e continuará a dividir-se entre Lisboa, Paris, Londres, Milão e Nova Iorque.