Samsung

Always On Display do Note 7 chega aos S7 e S7 Edge

A Samsung decidiu implementar mudanças na funcionalidade Always On Display nos topo de gama da marca, os Galaxy S7 e S7 Edge. As alterações vão de encontro ao que existia no Note 7.

Ilya S. Savenok/Getty Images

Autor
  • Miguel Videira Rodrigues

A empresa sul-coreana tem enfrentado muitos problemas depois do lançamento do problemático Galaxy Note 7, que acabou por ser descontinuado devido a problemas com a bateria.

Apesar de toda a controvérsia em torno do Note 7, este era um smartphone que trazia novas funcionalidades no sistema operativo que o acompanhava – TouchWiz, a adaptação da Samsung ao Android. Agora que o topo de gama da linha voltou a ser o Galaxy S7 e S7 Edge, a empresa decidiu trazer para estes modelos uma melhoria numa funcionalidade que já possuíam, o Always On Display – que permite manter uma parte do ecrã sempre ligada, com um baixo consumo de energia, onde é possível ter acesso a diversas notificações, às horas, etc.

Screenshot_20161017-104441 Screenshot_20161017-104506

A atualização trouxe novos formatos (temas) desta funcionalidade, assim como mais opções de costumização. Pode alterar a cor do relógio, adicionar uma frase ou uma imagem à escolha e saber que música está a ser reproduzida. Foi uma atualização que traz mais liberdade ao utilizador para deixar o smartphone com um toque mais pessoal.

Apesar da Samsung ter importado algumas funcionalidades do Note 7, estas não chegaram todas ao irmão mais velho do modelo problemático. Com a nova atualização, apenas as chamadas perdidas e as mensagens recebidas aparecem no ecrã, como já acontecia nos modelos da gama S. No smartphone agora descontinuado era possível visualizar um maior número de notificações, bem como interagir com as mesmas a partir do Always On Display.

Segundo o site Android Authority, a Samsung afirmou que esta funcionalidade, agora, gasta menos de 1% de bateria por hora.

Texto editado por Pedro Esteves
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)