A sensação de força, o impulso que nos empurra para a frente, o sopro do vento na cara e os cabelos despenteados enquanto os objetos parecem passar por nós, cada vez mais depressa. É assim que as crianças descrevem sempre algo de mágico no movimento, na forma como podemos deslocar-nos de um lugar para outro. E depois há o modo como isso faz mudar o nosso ponto de vista.

A importância de nos movermos descobre-se a cada etapa do crescimento, ajudando-nos a configurar a perceção do mundo que nos rodeia e a nossa relação com os outros. O longe e o perto, o alto e o baixo, a relatividade do espaço e a subjetividade da distância. Desde que gatinhamos até à emoção de nos aguentarmos de pé, para depois dar os primeiros passos e, logo a seguir, correr. É a mobilidade que nos anima, que nos faz andar e progredir em direção aos objetivos. Sentimos a liberdade e a autonomia para partir e explorar o desconhecido, sempre em busca de novas emoções.

A globalização vive da mobilidade, que vai continuar a ser fundamental como tem sido desde a origem da espécie, e isso é ilustrado pelo papel do automóvel como agente propulsor do desenvolvimento humano. Sabemos que na origem está sempre a roda, mas no caso da Skoda encontramos duas, ou melhor, uma bicicleta. Dois homens com o mesmo nome e a mesma paixão pelo ciclismo.

Václav Laurin era mecânico de velocípedes e Václav Klement vendia livros. Começaram a desenhar e a construir bicicletas que batizaram com o nome Slavia, em 1895, mas cedo perceberam que se adicionassem um motor conseguiam ir mais depressa e mais longe. As bicicletas vendiam-se bem mas, em 1899, a dupla criativa resolveu começar a fazer motorizadas, criando a empresa Laurin & Klement, Co.

Quando já tinham construído cerca de 4000 motociclos de vários tipos, começaram a virar-se para o novo fenómeno: o automóvel, que foi substituindo gradualmente a produção de motos a partir de 1905.

No começo do século XX, o automóvel era um símbolo de liberdade e independência. Já havia aventureiros capazes de partir à descoberta em quatro rodas e para a Škoda depressa se tornou evidente que a expedições automóveis eram uma excelente forma de publicidade.

skoda rapid

Fiabilidade, durabilidade e conforto em longas distâncias eram comprovadas por aventureiros como Břetislav Jan Procházka que, no verão de 1936, realizou uma viagem à volta do mundo num Škoda Rapid em apenas 97 dias. Um feito impressionante até nos nossos dias.

A reputação da marca em termos de qualidade e fiabilidade excecionais fizeram aumentar as vendas locais e a exportação. A marca chegou a organizar uma das primeiras roadtrips da História, com o futebolista e herói nacional František Plánička, que viajou durante quatro meses até à Índia num modelo de série. Ao mesmo tempo, uma versão roadster do Škoda Popular destacava-se pela excelente performance na edição de 1936 do Rali de Monte Carlo.

São poucas as empresas que se podem orgulhar de ter mais de 120 anos de experiência e conhecimento acumulado em design e produção de automóveis. Existem atualmente apenas quatro construtores ativos com mais de um século de atividade e a Škoda é uma delas.

Desde as origens modestas, a marca produziu uma vasta gama de produtos de mobilidade ao longo das últimas 12 décadas, desde as bicicletas aos carros de competição, partindo da fábrica original em Mladá Boleslav, na República Checa, o centro das operações até hoje.

Além dos novos modelos a gasolina e diesel, a Škoda também está a preparar novos modelos movidos a energias alternativas para enriquecer o seu portfólio, como parte de um plano de desenvolvimento chamado “Estratégia 2025”. Aqui se inclui também a oferta de novos serviços, como soluções de conectividade e mobilidade inteligente.

Ao longo dos anos a Škoda tem acumulado êxitos, produzindo vários automóveis de elevada qualidade que deixam milhares de condutores felizes. Em 2011 quando se celebrou o 20º aniversário da integração da marca no grupo VW, após o colapso do comunismo na Europa de Leste, uma sondagem realizada no Reino Unido por uma publicação especializada colocou os condutores Škoda no topo da lista de clientes satisfeitos, à frente de marcas como a Lexus ou a Porsche.

O slogan “Simply Clever” vai muito além do simples “bom senso”. Basta olhar para o excelente design e ergonomia, equipamentos de série e funcionalidades típicas de segmentos superiores, para confirmar uma relação qualidade/preço imbatível. E depois há a alegria da viagem e o prazer de conduzir à descoberta do que nos rodeia e de novas sensações. É assim que a Škoda quer estar e continuar na vida de cada um, como a força que nos faz mover.