O Presidente da República considerou, esta terça-feira, que o ensino vocacional defendido pelo anterior Governo PSD/CDS-PP impunha uma escolha que “era precoce” e “condenava a uma discriminação”, mas disse ver vantagens no modelo suíço.

Marcelo Rebelo de Sousa falou com o Presidente da Suíça no final de uma visita à empresa Rondo, em Burgdorf, a cerca de 30 quilómetros de Berna, que dá formação a alunos de cursos profissionais pelos quais na Suíça se pode optar a partir dos 15 anos, como parte de um modelo dual de ensino.

“Aquilo a que assistimos aqui não é o que estava previsto em Portugal. A escolha em Portugal era muito mais cedo, era precoce. Aqui estamos a falar de jovens mais velhos que numa fase ulterior fazem essas escolhas”, afirmou o Presidente da República, em resposta aos jornalistas.

Segundo o chefe de Estado, o que o atual Governo do PS fez foi “substituir uma escolha prematura que condenava a uma discriminação, a uma desigualdade do ponto de vista social”.

“O que vimos aqui foi uma coisa diferente. Foi que mais tarde é possível escolher um caminho vocacional que tem vantagens para o futuro”, acrescentou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR