Utilitário que aposta em soluções estilísticas arrojadas e de acordo com aquela que é a nova imagem da Citroën, o novo C3 vai começar a ser comercializado no mercado nacional já no próximo mês do novembro.

O modelo francês, que oferece inúmeras possibilidades de personalização do exterior e do habitáculo (36 opções só na conjugação das cores para tejadilho e carroçaria), vai estar disponível com três níveis de equipamento (Live, Feel e Shine) e dois motores – 1.2 Puretech a gasolina e 1.6 BlueHDI – desmultiplicados em potências que vão dos 68 aos 110 cv.

O conhecido 1.2 Puretech, na variante de 68 cv, é a proposta mais acessível, custando 12.650€ (nível de equipamento Live), ou 13.850€ no caso de se optar pelo nível de equipamento Feel. Já na variante de 82 cv, os valores sobem para os 14.350€ (Feel) e 16.450€ (Shine). No entanto, e ainda com o mesmo propulsor a gasolina, há a possibilidade de dispor de uma versão mais potente, com 110 cv, que orça em 17.150€ na variante com caixa manual, disponível apenas com o nível de equipamento mais elevado. Já na única versão equipada com caixa automática, os valores ficam nos 16.850€, preço associado ao nível Feel, ao passo que o Shine implica o desembolso de 18.980€.

A gasóleo surge o 1.6 BlueHDi, de 75 ou de 100 cv, com os preços a variarem, no bloco menos potente e de caixa manual, entre os 17.050€ da versão Live e os 18.250€ do Feel – há ainda uma versão mais eficiente deste bloco, associada também ao nível de equipamento Feel, que anuncia 86 g/km nas emissões, exigindo em contrapartida 18.450€. Finalmente, o mais potente 1.6 BlueHDI estará à venda por 18.850€ (Feel) e 20.950€ (Shine), sempre com caixa de velocidades manual.