O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, felicitou na terça-feira António Guterres pela nomeação como secretário-geral das Nações Unidas.

Durante uma conversa que mantiveram ao telefone, Barack Obama garantiu a António Guterres que os Estados Unidos vão continuar a trabalhar em estreita colaboração com as Nações Unidas, de acordo com um comunicado da Casa Branca.

António Guterres foi aclamado na passada quinta-feira como novo secretário-geral das Nações Unidas, numa sessão da Assembleia-geral da ONU que ratificou a escolha feita pelo Conselho de Segurança em 5 de outubro.

“O Presidente prometeu o apoio contínuo [dos Estados Unidos] aos esforços da ONU para responder a um vasto leque de desafios globais”, refere a Casa Branca, invocando as alterações climáticas, o desenvolvimento sustentável, a ajuda humanitária, a prevenção de conflitos, a manutenção da paz ou ainda a promoção do respeito pelos direitos humanos.

Barack Obama “destacou igualmente a importância de se reforçar as reformas da ONU, incluindo garantir uma manutenção da paz eficaz e responsável e fortalecer e modernizar as instituições” da organização.

Guterres reúne-se esta quarta-feira com Assembleia-geral da ONU

A Assembleia-geral das Nações Unidas tem esta quarta-feira um encontro informal com o secretário-geral designado, António Guterres, em que todos os Estados-membros da ONU poderão fazer intervenções.

O encontro informal será “uma oportunidade para uma interação inicial” com António Guterres, “para o apoiar na preparação para o cargo”, indica o item de agenda da Assembleia-geral.

“Todos os Estados-membros e grupos podem falar”, destaca a informação, apelando para intervenções curtas, que não excedam os três/quatro minutos.

O encontro será também aberto a outros intervenientes, nomeadamente à sociedade civil, e será transmitido pela internet, “em linha com os compromissos de transparência e abrangência do presidente da Assembleia-geral”.

O encontro foi anunciado pelo presidente da Assembleia-geral, Peter Thomson, no dia da aclamação formal de Guterres perante os 193 Estados-membros das Nações Unidas.

Nessa altura, Peter Thomson qualificou como “histórico” o processo de seleção do nono secretário-geral da ONU, “pela primeira vez guiado por princípios de transparência e abrangência”.

Destacando a “vasta experiência” de Guterres, Thomson disse ainda acreditar que o antigo primeiro-ministro português “vai servir a comunidade internacional com dedicação” e garantiu que “fará tudo para facilitar um processo de transição suave”.

O atual secretário-geral, o sul-coreano Ban Ki-moon, vai manter-se em funções até 31 de dezembro.