O líder ucraniano, Petro Poroshenko, citado pela agência russa TASS, falou depois da cimeira realizada em Berlim, que contou com a presença da chanceler alemã, Angela Merkel, e dos presidentes russo, Vladimir Putin, e francês, François Hollande.

No encontro, também foi debatida a questão das eleições locais na província de Donbass, onde a Ucrânia exige que sejam dadas garantias de segurança e de fronteiras.

Petro Poroshenko insistiu na necessidade da saída das tropas estrangeiras e assegurou que “não há alternativas ao formato da Normandia”, depois de uma reunião que terminou sem ser assinado qualquer documento.

Os chefes da diplomacia dos quatro países deverão reunir-se dentro de um mês para concretizar o roteiro para aplicar os acordos de Minsk, enquanto os detalhes da referida missão policial serão discutidos com a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

A reunião de quinta-feira foi a primeira realizada pelos quatro líderes para tentar encontrar uma solução pacífica para o conflito, depois de a realizada há quase um ano em Paris.

O conflito na Ucrânia teve início em abril de 2014.