O tema é continuadamente debatido e há mais um estudo em cima da mesa. Desta vez coube a uma pesquisa sueca descobrir que beber mais do que duas bebidas sem álcool com açúcar (ou açucaradas artificialmente) aumenta significativamente o risco de diabetes.

Numa altura em que se debate a medida do Governo português em taxar refrigerantes, o jornal britânico The Guardian dá conta do novo estudo levado a cabo pelo Instituto Karolinska. Diz o estudo que consumir mais do que duas bebidas de 200ml por dia mais do que duplica as probabilidades de uma pessoa vir a desenvolver diabetes tipo 2. Já o hábito regular — considerando a ingestão diária de pelo menos cinco bebidas — aumenta em dez vezes essa probabilidade.

As bebidas já referidas aumentam ainda o risco de se vir a ter uma condição que o jornal garante ser menos comum: LADA, ou seja, diabetes latente auto-imune do adulto, uma doença que apresenta características associadas à diabetes tipo 1, que requer injeções constantes de insulina, e tipo 2, que está relacionada com a obesidade e o estilo de vida.

O estudo que foi publicado no Jornal Europeu de Endocrinologia considerou os níveis de consumo de refrigerantes de 2.874 adultos e comparou-os com índices de diabetes.

De referir ainda que segundo o mais recente relatório do Observatório Nacional da Diabetes (OND), em 2014 mais de um milhão de portugueses, entre os 20 e os 79 anos de idade, tinham a doença.