457kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Daesh ataca cidade de Kirkuk para tentar dividir ofensiva contra Mossul

Este artigo tem mais de 5 anos

O Estado Islâmico reivindicou a autoria de ataques suicidas perpetrados em Kirkuk, no norte do Iraque, anunciou o grupo através da agência Amaq, uma organização associada aos extremistas islâmicos.

O autoproclamado Estado Islâmico reivindicou a autoria de ataques suicidas perpetrados em Kirkuk
i

O autoproclamado Estado Islâmico reivindicou a autoria de ataques suicidas perpetrados em Kirkuk

ANDREA DICENZO/EPA

O autoproclamado Estado Islâmico reivindicou a autoria de ataques suicidas perpetrados em Kirkuk

ANDREA DICENZO/EPA

O Estado Islâmico atacou esta sexta-feira a cidade iraquiana de Kirkuk, confirmou a agência Amaq. “As forças do Estado Islâmico atacaram a cidade de Kirkuk por todos os lados”, refere o site da Amaq na internet depois de um bombista suicida ter atacado o maior quartel da polícia da cidade. Os extremistas do Estado Islâmico atacaram igualmente uma central de energia localizada na zona norte daquela cidade.

O ataque matou pelo menos 16 pessoas, segundo a agência Efe: seis polícias, dois trabalhadores da central de energia e oito terroristas. De acordo com o relato de um correspondente da agência France Presse na cidade, dezenas de extremistas armados com granadas e espingardas de assalto tomaram posições em “vários bairros” de Kirkuk. O correspondente da AFP refere ainda que viu nove homens armados “vestidos como afegãos” numa rua do bairro de Adan.

As milícias curdas, entretanto, conseguiram retirar os terroristas das esquadras de polícia de que tinham tomado controlo, sobretudo no sul da cidade. Os combates prosseguem num hotel e numa mesquita, onde os extremistas se barricaram.

O ataque a Kirkuk, uma importante cidade petrolífera no norte do Iraque, surge cinco dias depois do início da ofensiva a Mossul, pelo exército iraquiano, a coligação internacional e várias milícias locais, e está a ser entendido como uma tentativa do Daesh de dividir as tropas iraquianas para ganhar vantagem nos combates em Mossul.

O mapa mostra a localização de Mossul (o último bastião do Estado Islâmico no Iraque), Erbil (a capital dos curdos no Iraque) e Kirkuk (a cidade atacada esta sexta-feira).

Entretanto, testemunhas citadas pela France Presse afirmam que viram esta sexta-feira de manhã pequenos grupos de homens com armas a entrar em mesquitas e a tomar posições no interior de edifícios em várias zonas da cidade. Segundo Nachmeldín Karin, governador da cidade, a situação está neste momento sob controlo, e foi ordenado um recolher obrigatório para todos os cidadãos de Kirkuk.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.