O Pleno do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol anulou a pena aplicada ao diretor de comunicação do Sporting, Nuno Saraiva, por comentários colocados num post do Facebook após recurso daquele dirigente. Em causa estava uma suspensão de 15 dias e uma multa de 102 euros.

Depois da decisão tomada pelo conselho disciplinar da FPF a 23 de setembro, o Pleno do mesmo órgão voltou atrás e deu razão ao recurso do visado. Aquele órgão considerou que uma publicação no Facebook não “consubstancia” uma “perceção direta e inequívoca da prática de uma infração e dos seus autores” uma vez que “aparece num momento posterior ao da prática da infração” e não poderia, portanto, enquadrar-se, no ‘crime’ de flagrante delito no qual se baseou a pena inicial. O órgão federativo considera assim ter errado, por se ter baseado num meio de prova inválido, e decidiu revogar, por maioria, a decisão tomada inicialmente.

O presidente do Conselho de Disciplina da FPF, José Manuel Meirim, fez questão de apresentar uma declaração de voto, subscrevendo “integralmente” a decisão do Pleno. Meirim justifica o seu ato para sublinhar que o CD da FPF “não se move por razões inconfessáveis ou determinados por terceiros” e que “quando entender que errou” não terá “qualquer reserva mental em o reconhecer e repor o que entende ser a melhor aplicação das normas desportivas”.

No post em causa, na página profissional Nuno Saraiva SCP, o diretor de comunicação leonina fazia várias críticas a uma dualidade de critérios na justiça federativa, devido a um castigo aplicado ao diretor do futsal do Sporting, Miguel Albuquerque, com 16 meses de suspensão, enquanto o responsável do Benfica pela modalidade apenas foi castigado com um jogo.