O treinador do Benfica, Rui Vitória, mostrou-se este sábado “orgulhoso” por integrar a lista de pré-nomeados para o prémio de melhor treinador do ano da FIFA, mas repartiu o mérito pelo “coletivo” e pelos jogadores ‘encarnados’.

“Essas questões deixam sempre um certo orgulho. Não é de perto nem de longe o que me orienta e guia. Sou mais ligado a questões coletivas. Há o trabalho de muita gente. Os meus jogadores tiveram resultados positivos e, por isso, apareci”, afirmou, em conferência de imprensa.

O técnico do Benfica, que falava na antevisão da partida com o Belenenses, relativa à oitava jornada da I Liga portuguesa de futebol, frisou ainda que, esta presença na lista de pré-selecionados traz mais responsabilidade.

“Assim que soube, aquilo que mais me ocorreu foi que temos mais desafios pela frente”, disse.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além de Rui Vitória, também o selecionador nacional, Fernando Santos, integra uma lista de 22 treinadores que foi adiantada pelo jornal italiano ‘La Repubblica’ e que posteriormente será reduzida a 10.

O galardão de melhor treinador do ano para a FIFA será entregue no dia 11 de janeiro do próximo ano, sendo que o vencedor da última edição foi o espanhol Luís Enrique, do FC Barcelona.